Publicidade

Funcionários decidem continuar greve e ocupação no Hospital de Araranguá



Funcionários decidem continuar greve e ocupação no Hospital de Araranguá
Foto: Sindisaúde / Divulgação

Os funcionários do Hospital Regional de Araranguá (HRA) decidiram manter a greve a ocupação em assembleia na tarde desta terça-feira. Conforme o diretor do  Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Criciúma e Região, Cleber Ricardo da Silva Cândido, a desocupação só acontecerá com o pagamento das rescisões trabalhistas e da contratação de todos trabalhadores. 

O sindicato diz que o Instituto Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas), que assumiu a gestão da unidade, pretende reduzir em cerca de 25% o número de funcionários. Atualmente, são mais de 500 trabalhadores. 

Os funcionários estão em greve desde o dia 9 de dezembro. Eles receberam os salários atrasados de novembro no dia 26 de dezembro, porém reivindicam também melhores condições de trabalho, já que não há equipamentos e insumos. Atualmente uma equipe se reveza para atender somente os casos de urgência e emergência do hospital.  A ocupação iniciou no dia 22 de dezembro e funcionários se revezam e passam a noite na instituição. 

Segundo a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, a justiça da Comarca de Araranguá deferiu parcialmente nesta terça-feira o pedido de tutela de urgência ajuizada pelo Instituto Ideas em face à Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina – SPDM, com vistas à posse do Hospital Regional de Araranguá, a fim de dar início às ações e serviços de saúde no local.

 Segundo o secretário executivo da ADR de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, que acompanha todo o processo, foram concedidos cinco dias de prazo para que a SPDM realize a transição com o novo gestor, para que o Instituto Ideas dê início ao contrato emergencial firmado com o Governo do Estado.

Por Diário Catarinense