Publicidade

Em Orleans, equipe médica salva vida de mulher e bebê após ruptura de útero



Em Orleans, equipe médica salva vida de mulher e bebê após ruptura de útero
Fotos: Divulgação/spiava.com?

CASO RARO


Em Orleans, equipe médica salva vida de mulher e bebê após ruptura de útero


Médico explica que a doença é rara e de extrema gravidade, com incidência de um caso a cada dois mil partos


Apesar de ser um caso de risco devido a idade, uma orleanense de 43 anos define como tranquila toda a sua gestação. Porém, no momento do parto uma rara e grave doença colocou em risco a sua vida e a do bebê. O caso foi constatado em tempo pelo médico obstetra Dr. Richard Coan Cardoso e a história teve um final feliz.


Os ponteiros do relógio marcavam 3h10min da madrugada de quinta-feira, dia 25, quando Dr. Richard foi acionado para avaliar a paciente Rose Cristina Bianco, que havia dado entrada na Fundação Hospitalar Santa Otília - FSHO. O médico constatou que a mulher apresentava fortes dores abdominais e com  dificuldade de realizar o parto vaginal.


Diante dos sintomas, Dr. Richard logo suspeitou que poderia se tratar de uma rotura de útero e indicou uma cesariana de urgência. "Durante o procedimento constatamos que a paciente realmente apresentava uma ruptura de útero.  É um caso de extrema gravidade e tudo poderia ter dado errado, mas com a agilidade da equipe médica, sob o olhar de Deus,  podemos dizer que a Rose nasceu de novo e ter o pequeno Davi foi um milagre", declara Dr. Richard.  


Ele ainda explica que se trata de uma doença raríssima e de extrema gravidade  que acomete uma mulher a cada dois mil partos. "O  útero rompe durante o trabalho de parto e pode causar a morte da mãe e do bebê. É uma doença rara e apresenta alta taxa de mortalidade. É preciso muita agilidade nesses casos", detalha o profissional. Além do Dr. Richard,  o obstetra Dr. Marco Antonio Bertoncini Cascaes, o anestesista Dr. Volnei Coral e a enfermeira Gerusa Alberton fizeram parte da equipe que realizou a cesariana de urgência.


"Estou viva e com meu filho nos braços", comemora mulher


Com a atuação da equipe médica altamente qualificada, Davi veio ao mundo com 47 centímetros e pesando 2,700 kg. Rose já é mãe de Helena, de 1 ano e 7 meses, fruto de uma fertilização. "A gravidez do Davi aconteceu e foi de forma natural", relata a mulher.


Rose realizou o acompanhamento pré-natal com um médico da cidade de Tubarão e já havia sido orientada a procurar o hospital mais próximo em caso de necessidade. "Eu comecei a sentir dor na quinta-feira pela manhã e quando ela aumentou procurei o hospital de Orleans, como o médico me orientou. A equipe tentou o parto normal, mas não foi possível. Eu estava sentindo muita dor e não tinha mais forças", recorda. "Ao perceber que não era possível e da suspeita de um ruptura do útero, os profissionais realizaram uma cesariana. Graças a agilidade e qualificação de toda a equipe estou viva e com meu filho nos braços. Agradeço, de coração, cada um deles", acrescenta. Rose e Davi receberam alta da FHSO na tarde desta segunda-feira, dia 29.


"O grande orgulho do obstetra é ajudar uma mãe a colocar seu filho no mundo. E fico muito feliz por ajudar essa família. A partir de hoje fazem parte da minha família", conclui Dr. Richard.

 

Colaboração jornalista Stéphanie Piava 

 

 

Retirada voluntária
Mais de 17 mil toneladas de sal são retiradas de alimentos após acordo com a indústria

A indústria retirou mais de 17,2 mil toneladas de sal dos alimentos desde o acordo firmado com a Associação Brasileira...

Nono dígito para celulares em SC será adotado em novembro de 2016

Santa Catarina deve adotar o nono dígito em telefones celulares a partir de 6 de novembro de 2016. A data...

Cooperjovem
Projeto educacional valoriza gentileza e cooperação

Fazer da escola um lugar de reconhecimento dos direitos e deveres individuais e coletivos, construindo valores para uma convivência cooperativa....